sábado, 25 de junho de 2016

Um assassinato que teria relação com o Mensalão Mineiro


A mulher, segundo revela um advogado que atuou no caso, Dino Miraglia, era "mula". Mas não para entrega de drogas, como ocorre no roteiro do tráfico internacional. Ela era responsável por levar dinheiro e eventualmente "amor" aos políticos da cúpula do estado. Muitos figuraram na lista de Cristiana, mas poucos tiveram seus nomes revelados. Tal lista, elaborada por um irmão da modelo, com nomes que incluíam Newton Cardoso e Walfrido Mares Guia, desapareceu misteriosamente. Os nomes só ressurgiram quando o crime de propina já havia prescrito. E não foi por acaso. Cardoso negou conhecer a mulher. O mesmo afirmou Mares Guia que foi ministro do Turismo de FHC.

A mulher era um arquivo vivo a desfilar por gabinetes de autoridades mineira sobre 1,78 de muitas gentilezas e com maços e maços de dinheiro vivo. Sua morte, por asfixia mecânica, não deixou sangue ou mesmo digitais do assassino. Empurraram para cima do namorado - uma espécie de alpinista social fracassado que via nos envolvimentos da mulher uma maneira de ganhar dinheiro e fama. Mas sabe-se que havia muito mais gente interessada na sua morte do que o explorador de mulheres. A razão era óbvia: ela guardava segredos de cama e da corrupção.


Mas o detalhe grotesco da morte é que mais espantou: o criminoso, após estrangulá-la, jogou raticida na sua boca para sugerir envenenamento com fins de suicídio. Patético - ele esqueceu que morto não consegue engolir. 

-Coisa de principiante - disse à época um perito do Rio de Janeiro.

Dezesseis anos depois, a polícia de Minas pode começar a mostrar que sabe atuar além da conhecida truculência em presídios. São dois casos que tem como ponto em comum o desejo de fazer os mortos parecerem suicidas. Um bom começo.

Procuradores da Lava Jato só querem saber do governo do PT

Uma bomba,Alexandrino de Alencar, ex-executivo da Odebrecht preso por quatro meses na 14a fase da operação Lava Jato e libertado há cerca de um mês, tem confidenciado a amigos que, em seus depoimentos na prisão, propôs contar tudo o que sabia sobre as relações da companhia com os governos brasileiros ao longo de mais de 20 anos como funcionário de carreira do grupo. “Mas, não se interessaram em saber tudo. Só quiseram informações dos últimos 12 anos”, assim Alexandrino tem dito.


Alerta total na Região: Dois acidentes

O Corpo de Bombeiros de Goiás da Região Sul e Sudeste de Goiás vêm emitindo  alertar para quem for transitar pela GO 213 próximo ao matadouro, redobrar a atenção pois a rodovia está em reforma, com brita na pista, tivemos dois acidentes graves no local hoje. E cuidado redobrado para quem vai ao Mocajee em Ipameri, onde também foi relatado um acidente automobilístico grave.
PRIMEIRO ACIDENTE:




Mãe e filho envolvidos nesse acidente, a mãe veio a óbito no local já o filho está aguardando uma vaga na UTI em Goiânia.A equipe do Corpo de Bombeiros de Caldas Novas,foi acionada por volta do meio dia para atender uma ocorrência, envolvendo um carro e uma moto. Próximo ao frigorífico de Caldas Novas saída para cidade de Ipameri. O condutor da moto teve uma parada cardiorrespiratória a equipe do corpo de bombeiros, realizaram os procedimentos de ressuscitação já a passageira que se encontrava na moto foi a óbito no local. O condutor foi encaminhado para o UPA.

SEGUNDO ACIDENTE:
Outro acidente na GO 213, próximo ao matadouro, 2 vítimas sem ferimentos, recusaram atendimento somente danos materiais. Carro saiu da pista e colidiu no barranco


Deputada poderá perder concessão de TV e Rádio

Um artigo da CF determina que deputados e senadores não podem “firmar ou manter contrato” ou “aceitar ou exercer cargo, função ou emprego remunerado” em empresa concessionária de serviço público. Apesar da proibição, 40 parlamentares (32 deputados e 8 senadores) são atualmente proprietários ou sócios de veículos de rádio ou TV, concessões públicas.
Na ação encaminhada ao STF, o partido pede o cancelamento de outorgas de emissoras a parlamentares que integram o Congresso no período de 2015 a 2018. “Nós entendemos, nesse caso, que existe uma violação clara em relação à legislação visto que a função da imprensa é de justamente controlar o exercício do poder público e, por isso, precisa ter autonomia”, disse Bráulio Araújo, um dos advogados responsáveis pela ação, em entrevista ao Portal da EBC.
Em novembro de 2015, diversas entidades da sociedade civil defensoras do direito à comunicação e da democratização da mídia entregaram ao Ministério Publico Federal (MPF) uma representação denunciando os 40 parlamentares que são concessionários de rádio e TV. A expectativa era de que o MPF, por meio de suas sedes estaduais, entre com ações para cancelar as licenças.
Entre os mais influentes políticos do país que são sócios ou detentores de veículos de comunicação estão os senadores Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, Edison Lobão (PMDB-MA), José Agripino Maia (DEM-RN), Fernando Collor de Mello (PTB-AL), Jader Barbalho (PMDB-PA) , Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Magda Mofatto, deputada federal pelo PR. No total, os 40 parlamentares radiodifusores aparecem como sócios de 93 emissoras.

Samu desenvolve campanha para orientar sobre como desengasgar bebês

O Samu 192 Sudoeste foi chamado na segunda-feira (20), para atender a emergência de um bebê de 16 dias de vida, nascido prematuro de oito meses, que estava engasgado. A equipe da Base de Palmas, com a técnica de enfermagem socorrista Catarina Aguiar e condutor socorrista Daniel Serigatti, deslocaram-se até a residência, enquanto o médico regulador passava as orientações para a família, via telefone.
Na residência, repleta de familiares e bastante nervosismo, apesar de o bebê estar de olhos abertos, permanecia imóvel, não responsivo e apresentava características de estar engasgado. Ao passar uma gaze na boca do bebê, esta saiu suja de sangue, então a equipe começou o processo de reanimação. Catarina disse que fez a reanimação cardíaca com compressão torácica e virou o bebê na manobra de Heimlich. "Ele não estava responsivo, mas reagiu rápido à reanimação, pois ao realizar a manobra ele logo desengasgou e chorou. Era uma criança bastante frágil e a mãe bem jovem". 
Este é o segundo filho da moça, sendo que o primeiro tem quatro anos de idade. O  engasgo obstrui as vias aéreas da criança e, sem respirar, as consequências para o organismo podem ser fatais. Cada minuto é vital, tanto a adultos, mas em especial a crianças.
A equipe estabilizou o bebê e conduziu-o, acompanhado da mãe, para o Pronto Atendimento de Palmas, onde foi avaliado pelo médico. 
Nesta mesma semana, outro bebê com nove dias de vida, de Salto do Lontra, já não teve a mesma sobrevida. Engasgado com leite materno, o Samu foi acionado, tentou a reanimação, mas não conseguiu reverter o quatro de engasgo. O bebê estava roxo e sem respirar por muito tempo, vindo a óbito. 

Três engasgos por semana
Segundo o médico do Samu, Flávio Sbardelotto, pediatra especialista e Neonatologia, no inverno chegam média de três ocorrências de engasgo por semana, à Central de Regulação do Samu 192. O engasgo obstrui as vias aéreas da criança e, sem respirar, as consequências para o organismo podem ser fatais. Cada minuto é vital, tanto a adultos, mas em especial a crianças.
O médico pediatra lembra que habitualmente as crianças que mamam no seio, têm a alimentação materna ou via mamadeira, podem até o quinto mês fazer regurgitação e asfixiar. Nesses casos, o mais importante, se você não sabe o que fazer, é virar o nenê de barriga para baixo e deixa a cabeça mais baixa que o resto do corpo, é todo o princípio, como uma garrafa que precisamos por de cabeça para baixo para esvaziar. 
"Com a cabeça para baixo, deixando a porção cefálica mais baixa e, na medida do possível, essa manobra que mostra na foto é excelente, ou senão só passa o dedo e faz todo o giro dentro da boca do neném, pois isso provoca o vômito e a criança tende a eliminar o produto. Neste período, é importante ligar para o Samu no 192, pois sempre tem um médico que vai passar uma orientação por telefone sobre o que fazer se essa criança não desengasgar em primeira instância, só com essa manobra. Se ela tiver parada cardiovascular ou cardiorrespiratória existe a necessidade de fazer toda uma manobra que o médico regulador do Samu pode indicar via telefone e até a nossa unidade chegar no local isso pode salvar ou dar melhor sobrevida ao bebê", apresentou. 
Sbardeloto abordou sobre o pânico. "Normalmente diante desses casos, quando o pessoal liga para a regulação é dizer para a mãe dar o neném para outra pessoa, ou o pai, uma tia, a avó, um vizinho, alguém que tenha mais calma que ela neste momento. Uma mãe dificilmente vai conseguir fazer o procedimento, por isso é melhor passar a outra pessoa para este conversar com a gente e indicarmos a manobra. Normalmente quando existe uma pessoa que está menos tensa no grupo, vai fazer a manobra com muita mais facilidade". 
Sbardelotto diz que se o nenê não está responsivo a nada, sua cor está mais escurecida, o famoso estar roxinho, com o corpo amolecido, é sinal que asfixiou. "O segundo ponto, se ele estava mamando ou na uma hora e meia passada ou de imediato, provavelmente ele fez uma asfixia. Isso é fácil de tirar. Pela capacidade de regurgitar do bebê, até o quinto mês, provavelmente o leite tampe a parte de cima da garganta e ele asfixie. As vezes só a manobra de você deitar o neném de barriga para baixo e passar a mão na boca já se desencadeie o vômito e isso saia, faz com que ele tenha uma resposta respiratória mais rápida e o tempo de falta de oxigenação que chamamos de hipóxia seja menor. Quanto mais tempo ele ficar com o corpo mole, roxinho e não responsivo, as sequelas podem acontecer com uma intensidade maior", alertou. 

GPT DE CALDAS NOVAS EM AÇÃO

Nesta última sexta-feira (24) policiais militares apreenderam grande quantidade de droga, recapturaram um foragido da Justiça e recuperaram um veículo furtado em Caldas Novas (165 km de Goiânia). De acordo com a Polícia Militar, os policiais receberam informações de que em uma residência localizada no setor Itaguaí estaria ocorrendo tráfico de drogas e que os autores seriam acusados de terem cometido um roubo a uma fazenda. Diante das informações, uma equipe do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) foi até o local onde encontraram um casal preparando a droga para venda na varanda de casa. Após o flagrante os policiais realizaram uma busca no interior do imóvel onde foram localizadas uma balança de precisão, um total de 740g de pasta base de cocaína e utensílios utilizados para o preparo além de centenas de porções cortadas já prontas para a venda. No local havia mais outras duas pessoas e ao verificar os antecedentes criminais dos quatro abordados, foi constatado que contra João Luiz Vieira de 29 anos havia um mandado de prisão em aberto pelo crime de uso de documento falso. No local havia ainda um veículo GM Chevette e ao verificar sua situação os militares constataram um registro de furto. Diante dos fatos os autores foram detidos e encaminhados à Delegacia de Polícia onde Jair Carlos de Oliveira Neto de 20 anos e Amanda Pires Alves de Rezende de 18 anos foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e receptação.
Redação do Plantão Policial
Fonte: Polícia Militar de Caldas Novas 

PF investiga máfia dos shows públicos e Goiás entrou na mira

A Polícia Federal, a Receita e o Ministério Público Federal estão investigando uma “máfia” dedicada a fraudar a compra e venda de shows públicos de grandes artistas.
Segundo levantamento obtido pela reportagem, o volume de dinheiro obtido por meio de fraude na contratação, superfaturamento de cachês ou infraestrutura pode passar de R$ 100 milhões apenas nos últimos três anos. Somente no interior de São Paulo há R$ 15 milhões já bloqueados pela Justiça a pedido do Ministério Público Federal.
Por enquanto há investigações em curso em São Paulo, Goiás, Rio, Pernambuco, Amazonas, Bahia, Pará, Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte. A investigação começou em 2010, no interior de São Paulo, e depois se espalhou pelo país. 
Quem a iniciou foi Thiago Lacerda Nobre, hoje chefe da Procuradoria da República em São Paulo, e procurador da República em Santos.
“Quando viajava a trabalho pelo interior de São Paulo comecei a perceber que algumas cidades minúsculas estavam fazendo eventos com artistas de renome nacional, cujos cachês eram caríssimos. Começamos a investigar porque não havia como aquelas cidades bancarem tantos shows e festas de peão. Acabamos descobrindo uma série de irregularidades, que envolviam não só as cidades, mas até o governo federal, que era fraudado por meio de convênios culturais”, afirmou o procurador em entrevista exclusiva ao UOL.
Segundo Lacerda Nobre, somente no interior de São Paulo 32 cidades com governantes ou contratantes (de áreas culturais ou de eventos) estão hoje sofrendo ações de improbidade; além disso, há dez ações criminais em curso contra ex-prefeitos suspeitos de envolvimento ou facilitação das fraudes, e mais R$ 15 milhões já bloqueados até que as investigações terminem.
“Esse valor se refere apenas a bloqueios já realizados entre 2010 e 2013, e somente na região de Jales”, afirma o procurador.
No restante do país, segundo a reportagem apurou junto a fontes da PF e MPF, as fraudes podem somar mais de R$ 100 milhões desde 2013. Há novas ações sendo iniciadas em outros Estados, porém.
Um dos artistas já condenados a ressarcir os cofres públicos nos últimos meses foi o sambista Zeca Pagodinho. Sua empresária, Leninha Brandão, confirma a condenação, mas nega irregularidades e afirma que os advogados do artista vão recorrer (leia texto abaixo). No caso de Zeca, a ação contra ele se desenrolou em Brasília.
Modus operandi
A fraude mais comum, segundo o procurador, é aquela em que um atravessador recebe informação privilegiada de que esta ou aquela cidade fará uma grande festa (de aniversário por exemplo) e que a intenção é de contratar a dupla sertaneja “X”. De posse da data, o atravessador então se antecipa, entra em contato com a dupla e faz uma oferta de compra da data em questão.
Quando um funcionário da prefeitura entra em contato com o empresário da dupla, dizendo que a cidade tem interesse em contratar seus artistas, é informado que a data em questão já está vendida, e que a prefeitura deve procurar o empresário-atravessador. Não raro, a prefeitura acaba pagando um preço às vezes exorbitante pelo cachê dos artistas de seu interesse, porque o “atravessador” sabe que não há outras opções e “enfia a faca” no município.
O problema é que, segundo o Ministério Público Federal, há suspeitas de que muitos empresários e mesmo artistas decidiram entrar no “esquema” nos últimos anos. Há uma lista de empresas, empresários e artistas sendo investigados. Dezenas de sigilos fiscais já foram quebrados, com autorização da Justiça.
Técnicos da Receita Federal, por sua vez, estão cruzando dados de faturamento de artistas com dados declarados por prefeituras que os contrataram.
Máfia regionalizada
Segundo dados obtidos pela reportagem, a “máfia dos shows” está hoje instalada em ao menos oito estados. Em cada um deles, a máfia designou um “atravessador”, ou comprador de shows.
Sempre que uma cidade do interior desses estados quer comprar o show de algum grande artista, acaba sendo “obrigada” a tratar da contratação por meio do atravessador desse estado. Mesmo em alguns casos, contratações de artistas por empresas e locais privados também foram prejudicadas.
Os escritórios e suspeitos investigados pela força-tarefa estão atualmente localizados em São Paulo, Rio, Fortaleza, Recife, Manaus, Salvador, Belém, Natal e Teresina.
Outra modalidade de fraude que está sendo investigada envolve a contratação dirigida de empresas ligadas a funcionários públicos (de áreas como Cultura e Eventos) que vem mantendo monopólio no fornecimento de equipamentos e infraestrutura para grandes shows, como som, iluminação, segurança e até banheiros químicos (veja álbum, no topo desta página).

HOMEM É ASSASSINADO A FACADAS E JOGADO DENTRO DE FOGUEIRA, EM GARANHUNS PE

A madrugada desta sexta-feira (24), dia de São João, foi violenta no município de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco.
Passava da meia noite quando um desentendimento acabou com um homem assassinado na Rua Antônio Cesário no bairro do Indiano, a vítima foi identificada como; Edvaldo Valentim da Silva, 27 anos, de acordo com a polícia, Edvaldo estava armado com uma faca e teria se desentendido com seu assassino que o desarmou e desferiu vários golpes deixando a faca cravada no pescoço da vítima.

Ainda de acordo com informações obtidas no local do crime, ainda com vida e agonizando Edvaldo foi jogado dentro de uma fogueira tendo parte do corpo queimado.
No local compareceram as policiais Militar e Civil e o corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML), em Caruaru.

Mulher é executada em Amontada, Ceará


Homicídio na manha de ontem, sexta 24/06 no município de Amontada, estado do Ceará.

Vítima uma mulher de 20 anos,conhecida como Malú, informações dão conta que ela era garota de programa.
A vítima estava conversando com uma pessoa em um carro, quando se aproximou um elemento em uma bicicleta e anunciou um assalto, porém atirou na cabeça da jovem e fugiu sem nada levar. A bicicleta foi abandonada em seguida e o criminoso continuou a fuga em uma Hilux de cor prata.



terça-feira, 21 de junho de 2016

Pagamento de propina a funcionários do Samu em Goiás

Promotores Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado realizam Desde o início da manhã desta terça-feira (21/6), o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) deflagrou a operação “S.O.S. SAMU” para o cumprimento de 24 mandados de prisão temporária e de 43 mandados de busca e apreensão, cumpridos nos municípios de Goiânia, Anápolis, Aparecida de Goiânia e Trindade.
Durante as investigações realizadas pelo Ministério Público do Estado de Goiás descobriu-se um esquema de pagamento de propina a alguns funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Goiânia (Samu) – condutores socorristas, técnicos de enfermagem, enfermeiros e médicos – para que estes direcionassem pacientes atendidos pelo Atendimento de Urgência, que possuíssem planos de saúde, a determinadas UTIs, fraudando a respectiva regulação do acesso aos leitos de UTI.
O pagamento da propina a alguns funcionários do SAMU foi realizado por médicos e por responsáveis e proprietários de UTIs.
Em síntese, feito o atendimento de urgência pelo SAMU, por condutor socorrista ou técnico de enfermagem, era contatada a regulação de vagas do acesso aos leitos de UTI, cabendo a esta determinar o encaminhamento do paciente para algum hospital vinculado ao SUS, de acordo com a regulação de vagas.
Entretanto, os investigados estavam alterando essa rotina de atendimento, fraudando-a, posto que pacientes que possuíssem planos de saúde eram encaminhados para unidades de UTI particulares.
Os funcionários do SAMU, ora investigados, recebiam propina para realizar esse direcionamento de pacientes. O pagamento da propina era feito ou em dinheiro, diretamente, ou mediante depósito bancário, pelos proprietários ou representantes dessas UTIs.
Além da irregularidade na rotina de encaminhamento de pacientes às UTIs, o Ministério Público constatou encaminhamentos desnecessários de pacientes às UTIs, ou seja, pacientes atendidos pelo SAMU que não demandavam internação em unidade de terapia intensiva eram desnecessariamente internados. Para tanto, a fim de simular a gravidade do estado de saúde desses pacientes, valeram-se esses profissionais, em razão da vantagem indevida recebida, de métodos espúrios e perigosos, consistentes em  “rebaixamento artificial de consciência do paciente”, obtida com a aplicação de medicamentos de efeito sedativo, por exemplo.
Por fim, a investigação realizada pelo Ministério Público do Estado de Goiás descortinou a existência de uma organização criminosa envolvendo, de um lado, alguns funcionários do SAMU, e, de outro, proprietários e responsáveis por UTIs. Os envolvidos são suspeitos da prática de crimes de associação criminosa, de corrupção ativa e de corrupção passiva.
(Com informações do MPGO)