sábado, 25 de abril de 2015

Andressa Urach diz que se relacionou com homens casados por causa de pacto com entidade

Andressa Urach continua dando o que falar, depois que resolveu deixar seu passado duvidoso para trás e converter-se à religião evangélica. Nesta sexta-feira, em entrevista ao programa A Tarde É Sua, apresentado por Sônia Abrão, ela falou sobre antigos envolvimentos homens casados.
– Eu me envolvi com muitos homens casados mesmo. Isso porque a entidade atrai exatamente os comprometidos. No começo da minha carreira, eu fiz um pacto com uma entidade e, a cada R$ 1 mil que ganhava, eu enviava uma garrafa de champanhe – explicou ela, que ainda admitiu que mandava animais para serem sacrificados.
E as revelações não pararam por aí. Com o sucesso, veio também o acesso a drogas, e a apresentadora confessou buscava nas substâncias licitas e ilícitas uma fuga da realidade.
– Eu estava viciada em remédios para dormir, em álcool. Depois, comecei a usar drogas mais pesadas como maconha, bala (ecstasy), doce (LSD), e aí parti para a cocaína – afirmou.
Depois de passar por todo o drama com a inflamação de hidrogel e PMMA nas coxas e também no glúteo, Andressa se voltou à Igreja Universal e, inclusive, direcionou sua carreira para isso, assinando um contrato com a Record, emissora do bispo Edir Macedo

Denarc prende "fabricante" de crack na Zona Norte de Porto Alegre


Um homem de 33 anos foi preso no começo da tarde dessa sexta, na Vila Santa RosaBairro Rubem Berta, com 520g de crack na cozinha de casa. O detalhe é que a droga ainda estava em estágio pastoso, indicando que recém havia sido produzida.

De acordo com o delegado Maurício Barison, que comandou a ação pelo Denarc, havia sinais no local de que o suspeito, de fato, fabricava a droga a partir da cocaína em casa.


- Essa droga havia acabado de ser produzida. Estava secando em um pote para depois ser repartida e comercializada - aponta o delegado.

A estimativa é de que essa quantidade de crack pudesse render 3.640 pedras. O "fabricante", que já tinha antecedentes por tráfico, foi autuado em flagrante e encaminhado ao Presídio Central.

Agentes Comunitários de Saúde de Caldas Novas estão de luto

Hoje estamos em LUTO; pela perda da nossa querida Acs Edileia. Uma pessoa admirada pelos colegas de trabalho e pacientes. Pessoa de um coração enorme; cativava seus pacientes em cada visita domiciliar; com seu jeitinho timido; calada; sempre pronta a ouvir e dar atençao. Nunca reclamava de nada; sempre paciente; sábia e disposta a ajudar. Vamos sentir muita falta. Ficara sempre um vazio





Leia neste domingo em Jornal A Gazeta

Reportagem especial revela um dado assustador para o meio ambiente: mais de 1 milhão de pessoas jogam esgoto sem tratamento na baía de Vitória. No interior do Estado, 64 municípios não têm rede de tratamento.
Quer receber o conteúdo em casa?

Vitória! Justiça confirma: O direito da livre manifestação dos militares estaduais.

Associação de Praças do Estado do Paraná, pessoa jurídica de direito privado, reconhecida e declarada como Entidade de Utilidade Pública, sem fins lucrativos, regidas por normas de direito privadonão considerada militar, vem, respeitosamente perante todos os Profissionais de Segurança Pública do Estado do Paraná, informar que:
Dr. Davi da VAJME/PR da uma aula sobre o direito da livre manifestação dos militares estaduais, fruto doHABEAS CORPUS protocolado pela Entidade.

01.                   Observe as principais considerações elencadas pela Entidade no Habeas Corpus da relatoria do Magistrado:
“A respeito do que consta na petição inicial, é certo que a Constituição Federal garante aos cidadãos, civis oumilitares (grifei) o direito à livre manifestação, conforme artigo 5° IV da Carta Magna.
A questão da livre manifestação do pensamento foi tratada como um direito e garantia fundamental do indivíduo, verdadeiro tesouro para o exercício da cidadania e preservação da dignidade da pessoa humana (art. 1º I e II da CF).
O legislador constitucional consagrou algo que é da essência de qualquer ser humano, o que seja, o livre pensar. Interpretando a contrário senso, temos como regra geral, a repulsa da sociedade brasileira à implementação de instrumentos de controle e censura da manifestação do pensamento.
Negar ao homem o direito de pensar é algo tão odioso quanto inútil, eis que é do espírito humano pensar, é da natureza dos seres vivos ser livre.
O D. Juízo faz as considerações sobre os direitos básicos de cidadão dos policiais e bombeiros militares:
“Embora o militar exerça função importante de caráter especialíssimo, regido pelos princípios da hierarquia e disciplina, não pode ter relegado seus direitos básicos de cidadão (grifei).”
E segue, agora com a vedação de atos grevistas, e não da manifestação pacífica e ordeira em busca de direitos legítimos:
“O que a Constituição da República veda aos militares é a greve (art. 142, parágrafo 3°, inciso IV), o que difere da manifestação do pensamento de forma pacífica e ordeira que não prejudique a prestação do serviço público, em busca de direitos que julgam legítimos ou contra abusos de autoridades constituídas (grifei).”
                        O Magistrado comenta sobre situações que não devem ser justificativas para instauração de procedimentos persecutórios:
“De modo que as manifestações, ainda que críticas, que sigam um padrão de civilidade e razoabilidade, expostas pelos meios de comunicação hoje disponíveis (Facebook, whatsapp, etc.) não devem justificar a instauração de procedimentos persecutórios (grifei).”
E ainda, comenta sobre a inadmissibilidade de perseguições posteriores com a instauração de procedimentos disciplinares ou criminais pelo simples fato de participarem de atos públicos pacíficos e ordeiros:
“Da mesma forma seria inadmissível aceitar eventuais perseguições posteriores com a instauração de procedimentos disciplinares ou criminais contra militares, pelo simples fato de terem participado de atos públicos ordeiros (grifei).”
A Constituinte também aparece como previsão legal que autoriza a reunião pacífica e em local aberto ao público:
“A própria Constituição da República em seu art. 5º, inciso XVI, prevê a possibilidade de reunião pacífica e em local aberto ao público:
“XVI – todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente;”
Devemos preservar a dignidade daquele que tem o direito de expressar-se livremente, bem como da pessoa natural ou jurídica que venha a ser ofendida pelo desmando do pensamento exposto. Assim, obviamente, entre os abrangidos pela tutela de proteção da norma constitucional, que rechaça a violência e a agressividade da linguagem, estão as Praças, os Oficiais (Comandantes ou não) e a própria honrosa Polícia Militar do Paraná(grifei).
Somente com esta cautela poderemos construir uma sociedade livre, justa e solidária, promovendo o bem de todos (grifei) (art. 3º I e IV da CF).”
02.                   Como visto, as considerações do Magistrado alicerça o direito de livre manifestação dos bombeiros e policiais militares, os quais devem pautar o exercício de seus direitos conforme balizas jurídicas constitucionais supracitadas. A Entidade tem o dever de reiterar para seus filiados, e também para toda classe policial, que os direitos fundamentais previstos na Constituição Federal de 1988, também são extensivos a classe dos militares estaduais, devendo ser alimentados diariamente, com o intuito de buscar a politização da classe policial, posto que integram e também fazem parte da Sociedade.
Venha fazer parte da Família!!!!
APRA/PR.
“Na vida temos duas opções: levantar a cabeça e lutar, ou se trancar em si mesmo e esperar que outros lutem por você”.
por Jayr Ribeiro Junior.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

BAEPENDI /MG, EXEMPLO A SER SEGUIDO PELO RESTO DO PAÍS

Em parceria com a SUAPI ( Subsecretaria de Administração Prisional ) a Prefeitura de Baependi inicia projeto de limpeza e manutenção das ruas do nosso Município.
A Prefeitura de Baependi solicitou junto a Subsecretaria de Administração Prisional a utilização da mão de obra dos detentos na limpeza de ruas do Município. Todos os detentos que participam do projeto foram selecionados tendo por base seu bom comportamento.

Um reforço para o Município e ainda uma forma de contribuir para a recuperação dos presos, pois a atividade laborativa externa é uma das melhores formas de reinserção do preso em sociedade.

Pai de menina morta por Champinha é contra redução da maioridade penal

O advogado Ari Friedenbach, pai da jovem Liana, assassinada pelo então adolescente Roberto Aparecido Alves Cardoso, o Champinha, em novembro de 2003, na Grande São Paulo, já foi um defensor da redução da maioridade penal. Logo depois da morte da filha, fez campanha pela antecipação da responsabilização como adulto. Friedenbach diz que estava em "estado de choque" e no "calor da tragédia" que sua família viveu.
Hoje, no entanto, se opõe à proposta aprovada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados. Em sua opinião, ela é inconstitucional. "Não podemos aceitar a redução da maioridade penal em hipótese nenhuma. Acho isso uma calamidade para a nossa sociedade", afirmou emaudiência pública realizada na Assembleia Legislativa de São Paulo na última sexta-feira (17) .
Nesta quinta-feira (23), disse ao UOL que mudou de posição depois de "estudar com profundidade o tema dos jovens infratores" e os "riscos à sociedade" que a redução representaria.
"A gente vai deslocar esse drama do jovem que hoje é cooptado com 16, 17 anos. Vão começar a cooptar jovens de 14, 15 anos para cometer os mesmos crimes ou assumir os crimes", diz o advogado.
"A gente vai colocar o jovem que comete um pequeno ato infracional numa cadeia, que não está recuperando ninguém, muito pelo contrário. Ou seja, tira qualquer possibilidade de ressocialização desse jovem."

Outra proposta

Tendo como bandeira a segurança pública, Friedenbach já se candidatou a deputado federal e em 2012 foi eleito vereador em São Paulo. Entrou na Câmara pelo PPS e depois migrou para o Pros.
Apesar de se opor à redução da maioridade, ele defende a responsabilização criminal de adolescentes que cometem homicídio, latrocínio, estupro, sequestro e roubo.
"Para esses casos e somente para esses casos, defendo que eles respondam dentro do Código Penal, da mesma maneira que respondem os maiores de idade, mas obviamente não os colocando num presídio comum."
Pela proposta, o menor condenado por um dos crimes acima deveria ficar internado até os 18 anos em uma instituição de ressocialização de infratores, como a Fundação Casa de São Paulo. Aos 18, seria transferido para o sistema prisional. O fato de o crime ter sido cometido na adolescência poderia servir como atenuante e reduzir a pena.
O tratamento dado a adolescentes que cometem outros atos infracionais não mudaria: eles ficariam sujeitos às normas do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescência) e poderiam cumprir medidas socioeducativas em unidades destinadas a adolescentes.
Segundo Friedenbach, a proposta tem a simpatia dos senadores Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e Magno Malta (PR-ES).
Seu próprio partido, o Pros, ainda não encampou a ideia. Nesta semana, a legenda veiculou uma campanha na mídia estimulando a população a participar de uma enquete sobre o tema: "Redução da maioridade penal – você é a favor ou contra?".
A iniciativa irritou o vereador de São Paulo. Ele enviou uma carta à direção do Pros para reclamar de não ter sido consultado e afirmou que considera um "grande erro estratégico" o partido não ter uma posição a respeito do assunto.

Liana e Felipe

Liana Friedenbach tinha 16 anos quando foi acampar com o namorado, Felipe Caffé, que tinha 19 anos, em Embu Guaçu, na Grande São Paulo, em novembro de 2003. O casal foi sequestrado por Champinha e quatro adultos. Caffé foi morto a tiros por Paulo César da Silva Marques, o Pernambuco. Liana foi estuprada e morta por Champinha. Todos foram condenados. A pena mais alta chegou a 124 anos de prisão.
Champinha ficou três anos internado na antiga Febem e na Fundação Casa, punição máxima prevista no Estatuto da Criança e do Adolescente. Sem ter outra pena para cumprir, ele está internado desde 2007 na UES (Unidade Experimental de Saúde), da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.
A Justiça resolveu interditá-lo civilmente depois de uma avaliação psiquiátrica. O laudo apontou que Champinha tem problemas mentais e não possui condições de viver em sociedade.

Guarda Municipal de Caldas Novas não passou de promessa eleitoral e até hoje nada!

MAGAL QUER GUARDA MUNICIPAL EM CALDAS NOVAS


O candidato à Prefeitura de Caldas Novas, Magal, afirmou ontem, 16 de agosto de 2012, quinta-feira, que uma de suas metas para a Segurança Pública é estabelecer a Guarda Municipal. Para Magal, o projeto que cria a instituição será remetido à Câmara de Vereadores no primeiro ano de administração. O tema foi discutido em audiência com 100 seguranças privados e agentes do Sistema de Execução Penal. “Conversamos com gente que entende profundamente de Segurança Pública e todos foram unanimes: o município pode colaborar muito com o Estado no fator Segurança Pública. A Guarda Municipal pode ser muito útil para proteger órgãos públicos, guardar as escolas e os estudantes, denunciar atividades criminosas, como tráfico de drogas e, em outra esfera, ser aproveitada na segurança do lojista, do trabalhador e do turista”, disse Magal.

O Vereador Saulo Inácio ( PSDB ), apresentou requerimento em sessão ordinária "solicitando junto ao Poder Executivo que o mesmo determine um estudo, uma forma visando a criação da Guarda Municipal, em seu Art. 86 e parágrafos. A Guarda Municipal, juntamente com o trabalho desempenhado pela Polícia Militar, é muito importante no sentindo de proteger o patrimônio público, os lares, as famílias de nossa cidade, os turistas que muito visita nossa cidade engrandecendo nosso turismo, e atuará na prevenção e combate a criminalidade, além de prestar atendimento diferenciado a toda população. Para Saulo Inácio trata-se da forma mais forte e direta da participação do Município  para garantir a ordem e a segurança pública, pois é de grande importância para todos a segurança e o bem estar, uma cidade com segurança é uma cidade tranquila e feliz.

Mini Pizza no valor de 5,00$


A juventude Gerados para Vencer, está vendendo Mini Pizza no valor de 5,00$ para ajudar na realização do nosso grande Congresso. Ajude-nos aí, por que além de estar saboreando essas deliciosas Mini Pizza, você também estará ajudando a obra de Deus aqui.
Quem se interessar poderá estar entrando em contato com. Raimundo 9235-2384 , Victor 9204-0908 , Dayane 9224-7896 Diogo 9217-2136 Jonathas 9291-7040. 

Descaso de desgoverno: Obra paralisada a dois anos


No dia 26 de Abril de 2013, foi dito na TV CALDAS, O prefeito juntamente com o secretário de saúde daquela época sr: Mauro Henrique Palmerston Lemos, inauguravam o lançamento de obra do ESF - do Conjunto Habitacional Terezinha Palmerston, nome da avó do Ex-Secretário de Saúde daquela época.
.
A previsão para conclusão da Obra era de 09 meses, onde seria entregue a população no mês de Dezembro do mesmo ano, seria más não foi, na imagem o que se ver é o mato tomando conta dessa tão sonhada obra, hoje com uma unica finalidade, esconderijo de usuários de drogas e mocó para ladrôes esconderem produtos oriundos de furtos e roubos.

.
Uma eleição é feita para corrigir o erro da eleição anterior, o pior é quando esse estado se agrava.
.

Foto: Ney Viturino