quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Trés invadiram uma casa para rouba mas levaram a pior

Três bandidos armados invadiram a casa de um policial rodoviário federal, localizada em Quatro Barras. O que o trio não imaginava era que a residência era de um policial. Para entrar no terreno, que fica em uma chácara, os bandidos cortaram a grade e invadiram o local. No momento em que eles já estavam dentro da residência, houve confronto entre o policial e os marginais. O policial levou um tiro de raspão na perna. Um dos suspeitos foi baleado na cabeça. Dois homens correram e conseguiram fugir antes da chegada do apoio policial.O suspeito baleado foi socorrido pelo SIATE em estado gravíssimo e levado ao Hospital Angelina Caron. Com ele foi encontrado um revólver calibre 38. Ainda na escadaria da casa foi encontrada uma pistola 635 abandonada pelos marginais. 

Atualização

O suspeito encaminhado ao Hospital Angelina Caron não resistiu aos ferimentos e morreu, de acordo com informações da Delegacia de Quatro Barras. O corpo dele foi encaminhado às 3h ao Instituto Médico Legal de Curitiba.

Presos fazem buraco, cavam túnel e escapam de cadeia de Matelândia

Na madrugada desta quinta-feira (13), presos da carceragem da 46ª Delegacia de Polícia Civil de Matelândia fugiram. Dez pessoas ganharam as ruas.
De acordo com informações da Polícia Civil, os detentos fizeram um buraco na parede e, consequentemente, tiveram acesso a outro. A fuga aconteceu por volta das 3h30. O buraco que os presos fizeram tem cerca de 20 centímetros de diâmetro. O túnel de seis metros, em linha reta, deu acesso ao terreno de um casa vizinha. 
Os presos são: Renan Eduardo Ragazon, 18 anos; Romário Marques Laurindo, 20 anos; Henrique Millnitz, 23 anos; Diego Alves de Freitas, 21 anos; Edimar Aparecido Ferreira dos Santos, 29 anos; Jhonatan Stolberg Lisboa, 22 anos; José Barbosa Macedo, 33 anos; Claudir Vebres Rodrigues, 27 anos; Diego dos Santos Machado, 26 anos; João Carlos Fernandes Silva, 29 anos.
Quem tiver informações sobre o paradeiro deles pode ligar para 197.


PARA OS PUXA SACO DO PREFEITO E DA DEPUTADA

A 241 é a PEC da Morte!

PHA: Eu vou conversar com Ronald dos Santos, presidente do Conselho Nacional de Saúde. Ronald, vocês elaboraram um documento que critica a PEC 241, por causa das ameaças ao Sistema Único de Saúde previsto na Constituição de 1988. Qual é a maior ameaça à saúde na PEC 241?

Ronald: É a morte do Sistema Único de Saúde, um sistema que salva milhões de brasileiros todo dia, um sistema do qual mais de 150 milhões de brasileiros dependem exclusivamente. Um sistema que atende a todos os brasileiros, um sistema que será liquidado.

Ele já vive há algum tempo na UTI em função do crônico subfinanciamento. Significa desligar os aparelhos. Significa a eutanásia do maior patrimônio que o povo brasileiro conseguiu contratar na Constituição de 1988.

Essa PEC congela os recursos por 20 anos. Simplesmente significa a liquidação do Sistema Único de Saúde. Justamente por iso que estamos chamando ela de "PEC da Morte".

PHA: Você poderia dar alguns números a esses seus argumentos? Quanto significará, em subtração de recursos para a saúde, com o que você chama de "PEC da Morte"?
Ronald: Mesmo com essa "cortina de fumaça" dizendo que o congelamento só vai valer a partir de 2018 e em 2017 ainda vai ser 15% das receitas correntes líquidas... Mesmo com isso, em 20 anos, até 2036, significa uma retirada de 438 bilhões de reais da Saúde.

Isso do ponto de vista prospectivo, pra frente. Se nós fossemos analisar pra trás, se essa regra tivesse valendo há dez anos atrás: ao invés dos 100 bilhões que foram aplicados em 2015, seriam 69 bilhões. Ou seja, uma diferença de quase um terço do recurso aplicado. Isso significaria hoje menos UPAs, menos Farmácias Populares, menos transplantes, menos cirurgias oncológicas, menos SUS...

Em última análise: muito menos vidas pro povo brasileiro. É isso que significa a PEC. Mais do que números, são vidas. Quem perde uma vida, que seja uma vida, é 100%. 

PHA: Qual é o serviço que o SUS presta hoje que será mais prejudicado com a PEC 241?

Ronald: As forças políticas que defendem esse passo pra trás defendem a tese do funcionamento de um sistema de saúde no qual quem determina as regras é o mercado. É o que nós vivíamos no Brasil até a Constituição de 1988. E nessa lógica, de Saúde como uma mercadoria, a organização do sistema centra-se no hospital, no médico e na doença. 
Sendo que a gente vai retornar a essa ordem presidindo a atividade econômica de Saúde no Brasil, com certeza absoluta o que vai ser mais prejudicado será a atenção básica. A atenção primária. A atenção que resolve 80% dos problemas de saúde da população, com certeza será, a médio e longo prazo, a mais prejudicada, pois ela vai na contramão dessa lógica que estão tentando restabelecer. Ela parte da lógica que a Saúde se faz no território, com uma equipe multiprofissional, e o centro dela é na atenção primária, na primeira atenção, junto à comunidade, junto à família.

E, em particular, quem mais vai sofrer, do ponto de vista da gestão, serão os municípios que já estão super apertados, no sentido de um compromisso das suas receitas com Saúde.

PHA: Pensando em pessoas, tente identificar para nós do Conversa Afiada: quem são as pessoas que serão atingidas nessa descrição que você acaba de fazer, e situando nos municípios que já estão com seus orçamentos apertados, quem serão as maiores víticas dessa PEC que você chama de "PEC da Morte"?

Ronald: Aqueles que sempre mais precisaram da atenção do Estado: os idosos, as crianças, principalmente as mulheres, as periferias das grandes cidades, o campo, as minorias... Essas que o Sistema Único de Saúde tentou, através da integralidade e da equidade, atender ao longo desse último período. Essas pessoas serão, por certo, serão as mais prejudicadas e as que terão sérios prejuízos à atenção à sua saúde. Não tenho a menor dúvida que quem mais vai sofrer as consequências é, de fato, quem mais precisa. 

E, no Brasil, são mais de 150 milhões de pessoas que dependem exclusivamente do SUS - exclusivamente do Sistema Único de Saúde! Isso não significa que os outros 50 milhões não dependam do SUS para consumir uma comida saudável, para consumir água tratada, não usem as campanhas vacinação, não usem os transplantes... É um sistema que nós temos que atende os 200 milhões de brasileiros - mas, particularmente, 150 milhões são exclusivamente dependentes desse sistema.

PHA: Nós noticiamos aqui no Conversa Afiada que o sistema Farmácia Popular corre sério risco, porque não estão sendo feitas renovações dos programas de farmácias com a Caixa Econômica Federal. Qual é o destino da Farmácia Popular nesse governo que nós chamamos assim, singelamente, de Golpista?

Ronald: Nós questionamos inclusive o Ministério da Saúde e a informação que temos é que isso foi em virtude de um contrato com a Caixa Econômica Federal que não tinha sido fechado. Mas a informação que nós recebemos é que foi fechado esse contrato com a Caixa e, pelo menos pra esse ano e para o próximo ano, está garantida a manutenção do Farmácia Popular. 

Mas nós estamos falando de mudanças pra 20 anos. E, nesse orçamento, com essa proposta, com certeza absoluta não caberá a Farmácia Popular.

PHA: E o Mais Médicos?

Ronald: Quando você me perguntou qual que seria a área mais prejudicada, eu lhe afirmei que seria a atenção básica, a atenção primária, que é onde estão esses profissionais, é onde estão estruturando a presença desses profissionais. Eu não tenho dúvida que, presidindo novamente a lógica do mercado, a lógica da doença, o Mais Médicos será um processo desestruturado pelo subfinanciamento, pela falta de recursos. 

PHA: O Mais Médicos pode acabar?

Ronald: Não tenho dúvida. Não só o Mais Médicos como também pode prejudicar ou causar grandes dificuldades à própria estratégia da Saúde da Família, que é algo que está há mais tempo e estruturando a atenção primária de Saúde no Brasil.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste elegem candidatos indígenas


Eles existem. O Acre elegeu o primeiro prefeito indígena de sua história, o professor Isaac Pyânko (PMDB), em Marechal Thaumaturgo. Ele é do povo Ashaninka, do Rio Amônia, no Alto Juruá. O município soma-se a São Gabriel da Cachoeira (AM) e São João das Missões (MG) entre os que conseguem emplacar indígenas na prefeitura. Isaac se soma a dezenas de vereadores eleitos em várias Unidades da Federação, do Ceará ao Mato Grosso do Sul. Uma simples olhada para as fotos dos eleitos mostra uma diversidade pouco vista no universo – majoritariamente branco – dos demais eleitos no Brasil.
De Olho nos Ruralistas fez um levantamento preliminar dos candidatos indígenas eleitos. (Se o leitor tiver mais nomes, favor enviar.) Eles estão filiados a diversos partidos. Em alguns casos, competiram em chapas diferentes. Alguns aparecem entre os mais votados em seus municípios.

Isaac Piânko, eleito prefeito de Marechal Thaumaturgo, no Acre

Ainda no Acre, o município de Santa Rosa do Purus teve dois vereadores indígenas como os mais votados, com pouco mais de cem votos cada: Enio Kulina (PR) e Manoel Kaxinawá (PRP), o Cacique Manoel.  Com o petista Gregorio Sereno, outro da etnia Kaxinawá, eles teriam 1/3 da Câmara – só que foram eleitos por coligações diferentes. Em Jordão, a Câmara terá Fernando Kaxinawá (PDT). Cacique Nasso Kaxinawá será mais um representante da etnia, em Tarauacá. O município de Feijó elegeu Décio Hunikui (PSB).
Em Atalaia do Norte (AM), no Vale do Javari, a Câmara Municipal terá seis vereadores indígenas, em onze vagas possíveis. São eles: Marcelo Marke Turu Matís (PSDB, na foto principal, da etnia Matís, contactada somente no fim da década de 70; Gilson Mayuruna (PMDB), o Gaúcho, e Cesar Mayuruna (PSL),, dos Mayuruna (Mayoruna, ou Matsé, também presentes no Peru); Manoel Churimpa (PROS), e Armando Marubo (PSDB, o mais votado), ambos do povo Marubo; e Adelson Saldanha, o Kora (PT).
No extremo noroeste do país, São Gabriel da Cachoeira (AM) elegeu novamente um prefeito indígena: Clovis Curubão (PT). O vice-prefeito eleito, Pascoal Alcântara (PT), idem. Entre os vereadores eleitos aparecem Anderson Yanomami (PSL) e Basilio Kuripaco (PSL). Ainda no Amazonas, Benjamin Constant teve vários candidatos, mas não identificamos nenhum indígena entre os mais votados. Jaime Piasan (PV) foi eleito vereador em Normandia. (Não identificamos a etnia.)
Em Jacareacanga (PA), Hans Munduruku foi eleito vice-prefeito, pelo PSC. Os Munduruku também elegeram o tucano Giovani Kaba, vereador mais votado no município, e Elinaldo Crixi (PMDB). Vários Kayapó tentaram se eleger no sul do Pará, sem sucesso. No Amapá, a Rede elegeu como vereador Jawaruwa Waiãpi, no município de Pedra Branca do Amapari. Em Roraima, Grigorio Lima, também da Rede, foi o mais votado em Uiramutã. Ele é da comunidade indígena Pedra Branca, na Raposa Serra do Sol.
Três indígenas da etnia Xerente foram eleitos em Tocantínia (TO): Valci Xerente (SD), Ivan Xerente (PV) e Raimundo Xerente (PSDB). O município tem a língua Akwé Xerente como oficial. Em Sandolândia (TO), Cristina Karaja (PSB) foi a segunda mais votada para a Câmara. Formoso do Araguaia (TO) elegeu Robson Haritianã (PRTB), do povo Javaé.

Marcelo Marke Matís, eleito vereador em Atalaia do Norte (AM). (Foto: Associação Indígena Matís – Aima-Matís)


NORDESTE
No Ceará, o advogado Weibe Tapeba (PT) foi eleito vereador em Caucaia. É o único do PT no município. Em Monsenhor Tabosa, Vicentinho Potyguara (PCdoB) foi não somente reeleito, mas o mais votado, ao lado do tucano Kaio Souto, neto do ex-prefeito e pecuarista José Souto. Os Potiguara estão presentes também na Paraíba e constituem a etnia mais numerosa do Nordeste. Os Tapeba estão restritos ao Ceará, na região de Fortaleza. No século 19, o estado chegou a declarar que não tinha mais indígenas.
A Paraíba elegeu vereadores Potiguara em três municípios. Em seu terceiro mandato, a cacique Claudecir Braz (PMDB), a Cal, foi a terceira mais votada em Rio Tinto, que elegeu também o Cacique Sandro (PSB). O município de Baía da Traição terá os vereadores Betto Bass (PRB) e Lú de Pompeu (DEM). Finalmente, em Marcação, foram eleitos nada menos que seis parlamentares — entre nove vereadores – da etnia. Quatro deles estão entre os cinco mais votados: Rafael Santos (PSB, o 1º), Giovane Cândido (PSD, o 2º), Rauny Barbosa (PR, o 4º) e Gillard de Grupiúna (PSL, o 5º). Os outros são Joseane de Lima (PRB) e Samuel Santos (PSL). Baía da Traição e Marcação têm hoje prefeitos indígenas, refletindo a proporção populacional (70%), mas os eleitos não são.
Em Pesqueira (PE), o presidente da Câmara – Sil Xukuru (PTB) – foi o vereador mais votado. Com mais três vereadores indígenas eleitos: José Carlos Índio (PRP), Expedito Cabral (PSC), o Biá, e Severino Índio (PTB). Todos Xukuru, etnia que vive na cidade e na Serra de Ororubá. Em Fernando Falcão (MA), vários candidatos Canela tentaram a Câmara. Mas somente Raul Canela (PSDB) conseguiu. Três Pankararu tentaram em Tacaratu (PE). Quem chegou lá foi Celo Pankararu (PV). Em Jatobá, ainda em Pernambuco, três Pankararu foram eleitos: Ronaldo de Valdenor (DEM), Cleomar (PV) e Zezão (PSB).
Gerson Pataxó (PT) foi o segundo mais votado em Pau Brasil, na Bahia. O PT também elegeu Cacique Flavio, do povo Kaimbém, em Euclides da Cunha. Cacique Aruã (PCdoB) passou raspando em Santa Cruz Cabrália, mas não entrou – embora tenha tido mais votos que três entre os eleitos. Porto Seguro elegeu o Cacique Renivaldo, mais um da etnia Pataxó. É um dos poucos que não aparecem na lista de candidatos indígenas feita pela Rádio Yandê.

O advogado Weibe Tapeba elegeu-se para a Câmara em Caucaia (CE)


CENTRO-OESTE
No Mato Grosso do Sul, o professor Eder Oliveira (PMDB) foi o candidato mais votado em Dois Irmãos do Buriti. O município elegeu também o tucano Eber Reginaldo. Em Sidrolândia (MS), Otacir Figueiredo (PROS), o Gringo, também conseguiu uma vaga na Câmara. Em Miranda, Adilson Antonio (PSL) o Zebra. E, em Nioaque, Vadeci Reis foi o segundo mais votado. Gringo, Eber, Eder, Adilson e Valdeci são da etnia Terena – que, ao lado dos Guarani Kaiowá e Guarani Ñandeva, é vítima da violência contra povos indígenas territorialmente mais concentrada do Brasil.
O Mato Grosso elegeu Mutua Mehinaku (SD), do povo Kuikuro, em Gaúcha do Norte. Ele é mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com dissertação sobre o pluralismo de línguas e pessoas no Alto Xingu. Claudio Werikina Karaja (SD) foi eleito em Luciara (MT) e representará os Karajá. Em Comodoro, a primeira indígena na Câmara – e também a mais jovem vereadora eleita no município – Érica Negarotê, da etnia Nambikwara. Ela tem 18 anos.
Em Bom Jesus do Araguaia, ainda no Mato Grosso, o segundo vereador mais votado foi um Xavante, Vanderlei Temireté (PSDB). Ele é da Terra Indígena Marãiwatsédé – invadida na última década por fazendeiros, muitos deles políticos. A etnia também emplacou um vereador em Santo Antônio do Leste, Leonardo Xavante (PV). E em Campinápolis, com Ernesto Serewiba (PV).  O povo Xavante foi o único no Brasil a eleger um deputado federal, Mario Juruna, nos anos 80.



segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Vereador afirma: Mortes poderiam ter sido evitadas no governo Magal

Mortes poderiam ter sido evitadas no governo Magal.Em março de 2013 apresentei requerimento para construção de leitos de UTIs em Caldas Novas, mas ele preferiu gastar $8.000.000,00(oito milhões de reais) em propaganda, descaso com a vida, chega de incompetência. Este requerimento foi aprovado por todos vereadores da Câmara Municipal, mas só 2 tem coragem de mostrar. Não acredito mais em promessa.

domingo, 25 de setembro de 2016

Um PARE pela vida” do HUGOL conscientizou mais de 4 mil motoristas


Duas pessoas com vidas distintas, mas com histórias que se cruzaram por uma fatalidade: Reinaldo Gomes Dourado e Clarim José da Costa são “colegas de quarto” na Clínica Ortopédica do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira – HUGOL, ambos vítimas de acidente de trânsito, um de moto dentro da cidade e o outro de carro, retirado da rodovia por um caminhão. Internados há quase um mês na unidade, retratam o cenário cada vez mais trágico do trânsito. 
Indo além da assistência aos pacientes de alta e média complexidade, do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira – HUGOL promoveu nessa sexta-feira, 23, uma blitz educativa dentro do âmbito de seu programa PARE – Prevenção de Acidentes e Reeducação no Trânsito, no cruzamento das avenidas Perimetral Norte e Mato Grosso do Sul, conscientizando cerca de 4300 motoristas através da distribuição de materiais, com o apoio do Detran, SMT, Corpo de Bombeiros e SAMU. Para Marcelo Haraguchi, motorista que trafegava durante a blitz, essas ações “são muito importantes para conscientizar a população, despertando a educação no trânsito”. 
Por um longo período os hospitais foram vistos apenas como instituições voltadas ao tratamento de traumas e doenças e, apesar de essa ainda ser sua essência primordial de atuação, o papel desses aparelhos tomaram nova perspectiva: a promoção da saúde, através da conscientização e da prevenção.
De acordo com o Diretor Geral da unidade, Dr. Hélio Ponciano, “como o hospital é voltado ao atendimento de alta e média complexidade, com foco em traumatologia, as vítimas de acidentes de trânsito estão entre os principais casos tratados na unidade, tornando-se um tema importante para conscientização da sociedade, e a Semana Nacional do Trânsito se figura como um momento de reflexão sobre esse cenário trágico”.
O HUGOL realizou 3.615 atendimentos relacionados a acidentes de trânsito, de janeiro a agosto de 2016, o que representa quase 20% do total dos atendimentos de Urgência e Emergência da unidade. Destes, 63% referem-se a acidentes envolvendo motociclistas, 27% a outros tipos de veículos e 10% a atendimentos para vítimas de atropelamento. 
Horácio Ferreira, Gerente de Educação de Trânsito do SMT, destaca a necessidade de uma integração de diversas instituições e atores envolvidos nesse tema. “Para uma real mudança, a responsabilidade do trânsito não está apenas sob um órgão, mas sim também de cada um que nele convive”, relata o gerente fazendo referência à importância da parceria com o HUGOL para a conscientização da sociedade.

ESTADO VAI REPASSAR MUITO DINHEIRO PARA CALDAS NOVAS DO ICMS ECOLÓGICO


O Conselho Deliberativo do Índice de Participação dos Municípios (COÍNDICE) divulgou a lista de municípios goianos que se habilitaram para participar da distribuição do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) Ecológico para o ano de 2017, referente a 2016. 

O ICMS Ecológico beneficia municípios que abrigam em seus territórios unidades de conservação ambiental, ou que sejam diretamente por elas influenciados ou, ainda, aqueles que possuam mananciais de abastecimento público. A Lei Complementar número 90, de 22 de dezembro de 2011, distribui 5% do ICMS aos municípios que atendem a pelo menos três critérios da legislação, fiscalizando, defendendo, recuperando e preservando o meio ambiente desde 2012. 
A Lei Complementar estabeleceu que a distribuição do percentual se daria de forma gradativa, 1,25% em 2012, 2,5% em 2013, 3,75% em 2014 até chegar a 5% em 2015. Em 2016 os municípios aptos ratearam entre si mais de 2,5 bilhões de reais (R$ 2.599.361.259,35). A estimativa da Associação Goiana de Municípios (AGM) é que em 2017 o repasse seja de cerca de 3 bilhões de reais. 
Em 2017 cinco municípios goianos receberão 0,75% por atenderam a pelo menos três critérios da legislação. São eles: Aporé, Buritinópolis, Campo Limpo de Goiás, Sítio d’Abadia e Teresina de Goiás. Outros 16 municípios serão beneficiados com 1,25% do repasse por atenderem a pelo menos quatro critérios. Eles são: Anicuns, Alexânia, Baliza, Buriti de Goiás, Campestre de Goiás, Cavalcante, Damianópolis, Hidrolândia, Mozarlândia, Nazário, São Francisco de Goiás, São João d’Aliança, Serranópolis, Silvânia, Trombas, Valparaíso de Goiás.
Os outros 54 municípios contemplados com imposto atenderam a pelo menos seis critérios e vão receber 3,0% de participação. São: Abadia de Goiás, Abadiânia, Água Limpa, Águas Lindas de Goiás, Alto Paraíso de Goiás, Alvorado do Norte, Anápolis, Aparecida de Goiânia, Aruanã, Britânia, CALDAS NOVAS, Catalão, Ceres, Chapadão do Céu, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Colinas do Sul, Corumbá de Goiás, Cristalina, Firminópolis, Formosa, Goianápolis, Goianésia, Goiânia, Goiás, Guarani de Goiás, Itaberaí, Itapuranga, Itumbiara, Jaraguá, Mambaí, Mineiros, Morrinhos, Mossâmedes, Nerópolis, Nova Crixás, Nova Roma, Ouro Verde de Goiás, Padre Bernardo, Palmeiras de Goiás, Palminópolis, Paraúna, Piracanjuba, Pirenópolis, Planaltina, Posse, Quirinópolis, Rio Quente, Santo Antônio do Descoberto, São Domingos, São Luís de Montes Belos, São Miguel do Araguaia, Senador Canedo e Terezópolis de Goiás. 

Acusado de homicídio, cinegrafista de Cascavel é preso em Curitiba

Um cinegrafista de Cascavel , no Oeste do Paraná, foi preso em Curitiba nesta semana. Ele é acusado de envolvimento no homicídio de Denis Eduardo Pascoski, 19 anos, morto no município no dia 24 de agosto. 
De acordo com as investigações, no dia do assassinato, criminosos chegaram em uma casa, no bairro Brasmadeira, e chamaram a vítima pelo nome. Quando ela perguntou sobre quem estava no local, os bandidos se identificaram como policiais. Assim que Eduardo abriu a porta foi alvejado. Ele foi socorrido pelas equipes do Siate, mas morreu ao chegar ao hospital.
Outro acusado de participar do crime,  Cleberson Luiz de França Ferreira, também foi preso. 
Jesse foi desligado do portal de notícias que trabalhava após ter o nome citado como suspeito do crime. Bem conhecido no meio policial, ele tentou atrapalhar o curso das investigações, segundo informou a Polícia Civil.
Colaboração: Cristiane Guimarães/Rede Massa.

Aviso aos moradores de Goiás e Distrito Federal


Na manhã de ontem,  (24/09), esse vagabundo pediu café pra uma senhora na Quadra 07 de Sobradinho, e no momento em que ela foi pegar o café, ele entrou na casa e a agarrou pelo pescoço, com os gritos da vítima, ele fugiu, mas deixou os documentos no lote. Os policiais constataram que ele é foragido de Juazeiro do Norte-CE.
Ele estava de camisa branca listrada e bermuda bege. Quem ver esse vagabundo, liga pra polícia.

DOIS LADRÕES PRESOS APÓS ASSALTO NA BR-020 - PLAN-DF

Na tarde de ontem (24/09), policiais militares da viatura 074, patrulhavam a área das Estâncias, quando foram informados por populares, que dois indivíduos haviam cometido um assalto na parada de ônibus do DVO, e que haviam entrado em um ônibus, em direção a Planaltina-DF, imediatamente os policias foram atrás do ônibus citado e próximo ao posto Itiquira, conseguiram prender os dois ladrões. Eles estavam com dois celulares, dinheiro e um revólver cal. 38 com 6 munições intactas, o qual foi utilizado no crime. 
João Paulo de Lima, 19 anos e Mateus da Conceição Barbosa, 20 anos, foram encaminhados para 16ª DP.

João Paulo, havia cometido outro assalto no dia 03/09/16, em uma Distribuidora de Bebidas na Quadra 01 do Buritis I. Ele e seu comparsa foram reconhecidos nas filmagens.
Quem reconhecer esses indivíduos como autores em outros assaltos pode se dirigir a uma Delegacia de Plan-DF e relatar o fato, para que eles respondam na justiça pelos crimes cometidos.