sábado, 20 de dezembro de 2014

Um pouco da História dos Bravos Guerreiros - Os Bombeiros




Em geral, as primeiras organizações contra incêndios, surgiram pela necessidade de se evitar possíveis incêndios e perdas insuperáveis. Em épocas remotas, esgotar as chamas de um incêndio de grandes proporções era obra impossível, devido aos precários recursos quando a prevenção tornava-se a melhor solução contra o fogo.





Histórico no Brasil

O badalar dos sinos anunciava que estava acontecendo um incêndio. Homens, mulheres e crianças saíam de suas casas, ou de onde estivessem, e corriam do local onde o fogo destruía algo. Todos juntos, faziam uma enorme fila e do poço de água mais próximo, passavam baldes de mão em mão, até que eles chegassem ao local que estava em chamas. Isto acontecia no Brasil até 1856, quando não havia homens especializados e contratados pelos Estados para o cargo de apagar incêndios. Não havia o Corpo de Bombeiros. É certo que, naquela época as ocorrências eram de menor proporção. Não havia as grandes cidades, nem os grandes edifícios, nem os milhares de carros e motos circulando nas ruas e causando acidentes e atropelamentos, não havia ocorrências com pó químicos ou bombas, e, é claro, a população brasileira era muito, muito menor.

Em 1856, mais exatamente, no dia 02 de Julho de 1856, o Imperador Dom Pedro 2º, vendo a necessidade de ter homens “especiais” para combater o fogo, assinou o decreto 1.775, que regulamentava o “Serviço de Extinção de Incêndio”. Nascia assim o “embrião” do Corpo de Bombeiros no Brasil.
Com o passar do tempo, o crescimento do Brasil e de sua população e a divisão por Estados, o Corpo de Bombeiros passou a ser uma necessidade e foram criados em todos os Estados do país.

A partir de 1954, por decreto presidencial, o dia 02 de Julho passou a ser o Dia do Bombeiro, uma justa homenagem a quem arrisca sua vida para salvar a do próximo.


HISTÓRICO MUNDIAL DO CORPO DE BOMBEIROS

ORIGENS 27 A.C

A origem dos Corpos de Bombeiros remonta à origem do emprego do fogo pelo homem. Uma das primeiras organizações de combate ao fogo de que se tem notícia, segundo Care Z. Péterson foi criada na antiga Roma. Augusto, que se tornou Imperador em 27 A.C., formou um grupo de "vigiles". Esses "vigiles" patrulhavam as ruas para impedir incêndios e também para policiar á cidade, através de patrulhas e vigilantes contra incêndios.

Neste período da história, o fogo era um problema de difícil resolução para os ¨vigílias¨ que contavam com métodos insuficientes para a extinção das chamas.

Entre os povos antigos, os gregos tinham organizado sentinelas noturnos para vigilância de suas cidades e faziam soar um alarme em caso de incêndio. Em todas as cidades do Império Romano também estavam regulados estes serviços, mas como abordamos no início deste capítulo, os bombeiros surgiram por necessidade, quase sempre depois de um grande incêndio, e foi assim, que surgiu o primeiro bombeiro, segundo registros históricos, quando a capital do império Romano, foi devastada por um grande incêndio no ano 22 a.C., e por esta razão, o Imperador César Augusto, preocupado por este acontecimento, decidiu na criação do que se pode considerar como o primeiro corpo de Bombeiros, cujos integrantes se chamavam “vigiles”, responsáveis pela segurança de Roma. Este corpo serviu até a queda do Império Romano (476 d.C.). Este, é o primeiro corpo organizado que se conhece na historia, dedicado exclusivamente a função de bombeiro.

Com os séculos, estas organizações evoluíram muito pouco. Durante a Idade Média se tinha no incêndio um conceito relativo, consideravam um dano inevitável. A partir do século XVI os artesãos se espalham por toda Europa numa modesta industrialização. Os incêndios são mais freqüentes e se tem necessidade de combatê-los de forma prática.

Mais tarde, na metade do século XVII o material disponível para combate a incêndio se reduzia a machados, enxadões, bales, e outras ferramentas. Os países mais avançados contavam com rudimentares máquinas hidráulicas, que eram conectadas a poços de vizinhos que enchiam baldes que por sua vez eram passados de mão em mão, até a linha do fogo.

No século XVIII Van Der Heyden inventa “a bomba de incêndio”, abrindo uma nova era na luta contra o fogo. O mesmo Van Der Heyden também ganha notoriedade ao inventar a “mangueira” de combate a incêndios. Estas primeiras mangueiras foram fabricadas em couro, e tinham quinze metros de comprimento com uniões de bronze nas extremidades. O novo sistema põe fim a época dos baldes e marca o começo de uma nova era no “ataque” aos incêndios, com o lançamento de jatos de água em várias direções, o que não era possível no sistema antigo.

A aparição destas bombas de incêndio fez com que se organizasse em París (França) uma companhia de “sessenta guarda bombas”, uniformizados e pagos que estavam sujeitos à disciplina militar.

Este foi um dos primeiros Corpos de Bombeiros organizados, nos moldes do sistemas atuais, que se tem notícias. Em pouco tempo todas as grandes cidades do mundo ocidental já possuíam, seja por disposição legal ou por iniciativa das companhias de seguro, (como por exemplo na Escócia e Inglaterra) serviços de bombeiros pagos.


Uma das normas mais antigas de proteção contra incêndios foi promulgada no ano de 872 em Oxford, Inglaterra, estabelecendo um toque de alerta, a partir do qual se deviam apagar todos os incêndios que estivessem ocorrendo naquele momento mais tarde, Guilhermo, o Conquistador estabelecia um toque de alerta geral em toda a Inglaterra, dirigindo tanto a que se apagassem os fogos como as revolta no país.

Um fato interessante da história, é que em 1666 na Inglaterra, já haviam Brigadas de Seguros Contra Incêndios sendo formadas por Companhias de Seguros e que eram as mesmas que decidiam pelas localizações das Brigadas. Sabe-se muito pouco a respeito do desenvolvimento das organizações de combate ao fogo na Europa até o grande incêndio de Londres em, 1666. Esse incêndio destruiu grande parte da cidade e deixou milhares de pessoas desabrigadas. Antes do incêndio, Londres não dispunha de um sistema organizado de proteção contra o fogo. Após o incêndio, as companhias de seguro da cidade começaram a formar brigadas particulares para proteger a propriedade de seus clientes.

Em Boston, depois de um incêndio devastador que destruíu 155 edifícios e um certo número de barcos, em 1679 houve a fundação do primeiro Departamento Profissional Municipal Contra Incêndios na América do Norte. Boston importou da Inglaterra uma bomba contra incêndios e no Departamento haviam empregados 12 bombeiros e um chefe. Já em 1715, a cidade de Boston já contava com seis companhias que dispunham de bombas d’água.

Em mesma época também eram organizados nas comunidades de Massachusetts sistemas de defesa contra o fogo tais como exigências que em cada casa houvesse disponível cinco latas, ( tipo balde ). Em caso de incêndio era dado alarme através dos sinos das Igrejas e os moradores de cada casa passavam então a organizarem-se em grandes filas, desde o manancial mais próximo até o sinistro, passando as latas de mão em mão. Aqueles que não ajudavam eram sancionados com multas de até U$ 10,00 pelo chefe dos bombeiros.

Com falta de organização e disciplina dos bombeiros ¨voluntários¨, bem como a resistência à tecnologia que despontava com a introdução de bombas com motor a vapor, ocasionou a organização dos departamentos profissionais contra incêndio tendo-se registro que em 1º de Abril de 1853 em Cinccinati, Ohio, entrou em serviço uma organização profissional de bombeiros com bombas a vapor em veículos tracionados por cavalos. Anos mais tarde, também Nova York substituía os bombeiros voluntários pelos profissionais que utilizavam estas bombas.

As primeiras escolas de bombeiro surgiram em 1889, Boston e em 1914, Nova York para transformação dos quadros profissionais de maiores e menores graduações.

Na época das primeira e Segunda Guerra Mundial os Corpos de Bombeiros encontravam-se estruturados e atuavam em sistemas de dois turnos. Todavia face as necessidades muitas vezes seguiam trabalhando para erradicar sinistros advindos dos bombardeios, com jornada de até 24 horas, passando a tornar-se comum tal prática, trabalhando mais horas que outras categorias profissionais e com isso consolidando-se esta situação, a partir de então.

Veja este vídeo que mostra a Evolução do Corpo de Bombeiros


Bombeiros de Inhumas, Goiás, em ação

Na manha deste sábado, 20, os Bombeiros de Inhumas combateram incêndio em depósito de pneus no Jardim Raio de Sol.





Mensagem de filho para pai policial morto.


Em Goiânia bandidos levaram a pior

Bandidos levaram a pior, mas tbm era a ‪#‎CHOQUE‬ que estava na perseguição.
Uma perseguição policial acabou em capotamento na Avenida Juscelino Kubitscheck, no Setor Jardim Presidente, em Goiânia. O caso aconteceu por volta das 19h10 desta sexta-feira.

Segundo informações da Polícia Militar, dois assaltantes roubaram uma caminhonete Chevrolet S-10 no Setor Bueno. A PM foi acionada é conseguiu interceptar o veículo no final da Avenida T-63, sentido Parque Anhanguera, e fez o acompanhamento. 
Ao chegar na Avenida Juscelino, o bandido que dirigia a caminhonete bateu em dois carros estacionados na via, perdeu o controle da direção e capotou. Logo em seguida, os policiais do CHOQUE chegaram ao local e deram voz de prisão.

Os assaltantes foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros e encaminhados a uma unidade de saúde da região com ferimentos leves. Após o atendimento, eles serão encaminhados para o Distrito Policial. Vejam as Fotos!




Delegacia desmonta quadrilha de roubo de motos em Itumbiara, Goiás

A Polícia Civil através do GRUPO ESPECIAL DE REPRESSÃO A CRIMES PATRIMONIAIS-GEPATRI/6ªDRP de ITUMBIARA, investigando furtos e roubos de veículos nesta cidade, conseguiu identificar dois suspeitos de estarem participando de uma série de assaltos contra donos de motocicletas em Itumbiara, onde no dia 18 de novembro de 2014, na Rua Paranaíba-CENTRO teriam subtraído uma motocicleta HONDA CB 300 mediante o emprego de arma de fogo.

Assim, o GEPATRI coordenado pelo delegado Rogério Moreira da Silva iniciou uma investigação e realizou diversos monitoramentos de indivíduos suspeitos, dentre eles WESLEY CABRAL 18 anos e o adolescente F.V.S.P, 16 anos que estariam conduzindo no dia 19 de dezembro de 2014, por volta das 10h uma motocicleta com as mesmas características da vítima, momento em que por volta das 18h, a dupla seguiu na motocicleta roubada em Itumbiara sentido ao município de Bom Jesus, onde a equipe do GEPATRI, com apoio da Delegacia de Polícia Civil de Bom Jesus, montou uma operação visando prendê-los.
Após encontrarem outro adolescente B.A.R 17 anos, suspeito de participar do homicídio de CARLOS ocorrido na Rua B no Bairro DOM Veloso, em 05 dezembro de 2014, foram de Itumbiara para a cidade citada acima e praticaram outro assalto, desta vez de outro roubo de uma motocicleta FAZER 250cc, conseguiram empreender fuga sentido Itumbiara, onde por volta das 23:30h, outra equipe do GEPATRI conseguiu interceptar, prender e apreender os três investigados após estes esboçarem uma reação sacando a arma que portavam(um revolver calibre 38), o que fez com que os Policiais Civis efetuassem disparos e os mesmo caíssem das motos e terminassem dominados na Avenida Modesto de Carvalho, assim dois adolescentes e WESLEY CABRAL 18 anos, de posse das duas motocicletas roubadas e de uma arma de fogo, momento em que todos foram conduzidos à sede do GEPATRI e lavrado o auto de prisão e apreensão em flagrante dos detidos pelas práticas dos crimes de roubo de uma motocicleta em Bom Jesus de Goiás, qualificado pelo emprego de arma de fogo e receptação dolosa da motocicleta roubada em Itumbiara.
A prisão e apreensões dos mesmos contou com o apoio incondicional dos delegados de polícia Dr. DANIEL MOURA de Bom Jesus de Goiás e DR. RILMO BRAGA coordenador do GENARC de Itumbiara.
Após realizar estas detenções, as equipes do GEPATRI saíram em busca de capturar outro adolescente V. G.L.F 13 anos, também investigado por ter participado do homicídio de CARLOS ocorrido na Rua B no Bairro DOM Veloso, em 05 dezembro de 2014, onde por volta das 02h do dia 20 de dezembro foi possível dar cumprimento ao mandado de busca e apreensão do mesmo e conduzi-lo à sede do GEPATRI.
Agora os quatro detidos serão recolhidos um no presídio de Bom Jesus, e os três adolescentes em Instituição apropriada para menores, onde permanecerão à disposição da justiça.
Portanto, após o monitoramento de suspeitos de estarem aterrorizando moradores de Itumbiara e Região, a Polícia Civil da 6ªDRP Coordenada pelo Dr. Ricardo Torres Chueire, conseguiu, após horas de campana retirar quatro indivíduos de alta periculosidade das ruas, que apesar da tenra idade, possuem antecedentes criminais por furtos, roubos e homicídios, trazendo, assim, um final de ano mais tranquilo às populações das cidades de itumbiara e região sul de Goiás.
Os detidos fora autuados e apreendidos por roubo qualificado(moto de Bom Jesus,) receptação(moto de Itumbiara) e porte de arma.



sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Por que cada vez mais os traficantes estão transformando nossos crianças e adolescentes em pedreiros

Um detalhe chama a atenção no caso das 132 pessoas detidas em São Luis na noite desta quinta-feira (11), quando participavam de uma festa supostamente promovida por uma facção criminosa com o objetivo de comemorar a morte de policiais militares ocorridas recentemente.

Dos 132 participantes da festa, 59 eram adolescentes. "Muita gente nova, muitos garotos e garotas com um futuro todo pela frente se envolvendo em coisas erradas. Isso me deixa muito triste", lamentouo comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Pedro Ribeiro.

É preciso discutir e buscar explicações para o fato de que o poder de aliciamento dos grupos criminosos tem se tornado cada vez maior, o fascínio que as facções criminosas exercem sobre crianças e adolescentes nos bairros de periferia da Grande São Luis vem aumentando de forma exponencial e o mais grave, a idade dos jovens seduzidos pelo poder do trafico é cada vez menor. Como reverter o caos a que estamos submetidos? Aonde erramos? quem errou? é hora de fazer uma autocrítica.

Em artigo publicado na edição zero da revista Catirina, lançada na quarta-feira (10), pela SHDM -Sociedade Maranhense de Direitos Humanos e disponível gratuitamente para download AQUI , o professor do Departamento de História da Universidade Federal do Maranhão - UFMA, Wagner Cabral da Costa, faz interessante questionamento sobre o assunto:

Por quê, afinal de contas, a opção pelo tráfico, seu “consumo de estilo”, seu “ethos guerreiro” de afirmação masculina (como aponta a antropóloga Alba Zaluar), foi e continua sendo atrativa para parcelas da juventude periférica? Por quê tornar-se “pedreiro” (de vendedor de “pedra”, “crack”, traficante)? Quais as redes de sociabilidade e solidariedade alternativas existentes nesses territórios? Quais as políticas públicas e seu impacto efetivo? Cadê o governo federal, estadual e a Prefeitura? Onde está a sociedade civil organizada?
COSTA, Wagner Cabral. Pedrinhas $.A.: a violência do negócio e o negocio da violência. Catirina, São Luis, n. 0, p. 35, Dez. 2014.

Novo código de processo civil

  1. Ações judiciais com o mesmo objetivo poderão ser julgadas de uma única vez
  2. O novo CPC extingue alguns recursos, limita outros e encarece a fase recursal, além de criar multas quando o objetivo for apenas para atrasar a decisão
  3. As ações serão julgadas em ordem cronológica de conclusão e a lista de processos ficará disponível para consulta pública
  4. Juízes terão que detalhar os motivos das decisões, não podendo apenas transcrever a legislação que dá suporte à sentença
  5. Com o objetivo de tentar acordos, os tribunais terão que criar centros judiciários de conciliação e mediação, com profissionais especializados.  
  6. A presença de especialista na tomada de depoimento de criança ou incapaz passa a ser obrigatória nos casos relacionados a abuso ou alienação parental
  7. Fica mantida a prisão fechada para o devedor de pensão, mas agora com a garantia de que ficará separado dos presos comuns.
  8. Para garantir a execução da sentença, o juiz poderá determinar a inclusão do nome do devedor em cadastros de inadimplentes.
  9. Administradores e sócios passam a responder com seus bens pelos prejuízos das sociedades com personalidade jurídica em casos de abusos e fraudes.
  10. Advogados públicos poderão receber, além do salário, honorários quando obtiverem sucesso nas causas.
  11.  Advogados liberais, nas ações vencidas contra a Fazenda Pública, terão tabela de honorários de acordo com faixas sobre o valor da condenação ou do proveito econômico.
  12. Para que os advogados tenham férias e não percam prazos, os processos ficam suspensos entre 20 de dezembro e 20 de janeiro.
  13. A intervenção do amicus curiae em causas controversas e relevantes poderá ser feita por uma pessoa, órgão ou entidade que detenha conhecimento ou representatividade na discussão

Acidente na avenida Itarumã em Itumbiara estado de Goiás

A Polícia Militar registrou neste dia 18 de dezembro de 2014, mais uma batida na Avenida Itarumã em Itumbiara envolvendo duas motos e um carro, um Ford Fiesta.
Ontem, neste mesmo local, houve outro acidente de menor gravidade.
Neste ocorrido agora, as 15h50, o condutor da moto se feriou com mais gravidade.
O Corpo de Bombeiros esteve no local e encaminhou a vítima para o Hospital Municipal Modesto de Carvalho.
De acordo com assessor de imprensa do Corpo de Bombeiros, soldado Tizzo, em acidente como esse, onde a vítima é arremessada contra o vidro, pode ocorrer TCE (Traumatismo Crânio Encefálica), que pode ser: leve, moderado ou grave dependendo da situação.
Somente o médico após exame poderá avaliar com maior precisão sobre o caso.
No local é possível identificar o sangue da vítima que conduzia a moto.

Bandido retorna ao presídio

Policiais civis da Delegacia de São Caetano, na terça-feira (16), deram cumprimento a mandado de prisão expedido pela 3ª Vara de Execuções Penais da cidade de Caruaru – PE em desfavor de Erivan Antônio da Silva, de 28 anos, acusado da prática de um homicídio no ano de 2006. Erivan se encontrava no regime semi aberto e estava evadido do Centro de Ressocialização do Agreste (CRA), em Canhotinho – PE, desde o mês de abril de 2014.
Erivan foi preso no Sítio Mingu, em São Caetano e recolhido ao Presídio Desembargador Augusto Duque, na cidade de Pesqueira – PE.