quarta-feira, 30 de julho de 2014

VEJA AONDE VIVE HILDA FURACÃO

Hilda ao lado de Valentim (Foto: Divulgação)
Nada da vida de glamour pela qual ficou conhecida, especialmente por conta da minissérie protagonizada por Ana Paula Arósio: aos 83 anos, Hilda Furacão vive de maneira anônima em um asilo em Buenos Aires, na Argentina. A idosa foi localizada na capital argentina pela reportagem do jornal Estado de Minas.
Hilda Maria Valentim mora no Hogar Guillermo Rawson. Ela foi a inspiração para a personagem Hilda Gualtieri von Echveger, que viveu em meio à boêmia da Belo Horizonte dos anos 1950. Na vida real, segundo o jornal, a verdadeira Hilda nunca frequentou o Minas Tênis Clube.
Hilda Valentim foi famosa em Buenos Aires como a "primeira-dama" do Boca Juniors, por ser casada com o jogador Paulo Valentim, craque do clube nos anos 1960. Ela lembra da época. "Com o Paulo, conheci 25 países. Ele era o único que tinha permissão para levar a mulher. Eu ia a todos os lugares", conta.
Antes de ir morar no asilo, Hilda vivia com a ex-mulher de um dos filhos que teve com Valentim, Ulisses, que morreu no ano passado. Agora, sem dinheiro, vive de favor no asilo.
Ela conta que ganhou o apelido de "Furacão" porque era brigona. "Se mexessem comigo estourava, discutia, queria bater. Sou assim desde pequena", comenta.

A MISTERIOSA HISTÓRIA DE UM HELOCÓPTERO CHEIO DE COCAÍNA, QUE DEU EM NADA

Você conhece a história. Em novembro de 2013, 445 quilos de pasta base de cocaína foram apreendidos numa fazenda de Afonso Cláudio, no Espírito Santo.
A droga fora transportada num helicóptero da família Perrella, de Minas Gerais. Em menos dois meses, Zezé e Gustavo Perrella — pai e filho amigos e aliados de Aécio Neves — foram isentados de responsabilidade sobre o crime, segundo um delegado da Polícia Federal bastante apressado. Em seis, todas as pessoas autuadas em flagrante foram inocentadas.
O DCM contou as impricações do escândalo em uma série de reportagens que batizamos de “O Helicóptero de 50 milhões de reais”. As matérias foram financiadas por nossos leitores num esquema de crowdfinding com a plataforma Catarse.
O experiente jornalista Joaquim de Carvalho realizou um trabalho notável. Conversou com juízes, advogados, promotores, políticos etc. Revelou que, na rota do chamado Helicoca (o apelido carinhoso que o processo ganhou na Justiça), houve uma parada num hotel fazendo em Jarinu, interior de São Paulo. Parte da carga pesada teria ficado ali. A polícia não deu prosseguimento à investigação.
Entrevistou o piloto da aeronave, Alexandre José de Oliveira Júnior, que trocou mensagens de celular, no dia da ocorrência, com Gustavo Perrella. Num encontro tenso, Alexandre contou que fora contratado para trazer “eletrônicos e medicamentos veterinários do Paraguai”. Para ele, “era contrabando de mercadorias, não tráfico de drogas”.
Em Minas, JC visitou a fazenda dos Perrellas. Antecipamos, com exclusividade, que o Ministério Público do Estado denunciou o deputado federal Gustavo Perrella por uso indevido de verbas da Assembleia Legislativa.
 
 

HOMICÍDIO EM VITORINO FREIRE - MARANHÃO

Mais um crime de homicídio foi registrado na tarde dessa quarta feira 30/07, na cidade de Vitorino Freire,Ma,   um homem identificado por John Lennon Barros, foi alvejado por disparo de arma de fogo que atingiu na altura do peito esquerdo vindo a perfurar o pulmão. O crime aconteceu por volta das 16h:30 no centro da cidade.
 Após ser alvejada a vitima estava pilotando um moto titan ainda tentou chegar ao hospital municipal, mas infelizmente não resistiu aos ferimentos e caiu nas proximidades da unidade de saúde. Mesmo Assim ele foi socorrido ás pressas  e quando deu entrada no hospital já estava sem vida, de acordo com o relatório médico o homem morreu em decorrência de uma hemorragia interna por causa da bala que perfurou o pulmão.
  
A polícia já tem indícios que podem levar ao autor do disparo e tudo leva a crê que seja uma pessoa da própria família da vitima que efetuou o disparo fatal.


Assassinado debtro de prisão de anápolis - Goiás

Um detento de 33 anos foi assassinado na madrugada desta quarta-feira (30) dentro de uma cela da Unidade Prisional de Anápolis, a 55 km de Goiânia. O suspeito de cometer o crime é outro preso. Segundo a Polícia Civil, o criminoso confessou ter assassinado o colega de cela. “Ele disse que foi assediado pelo autor e que não aceita isso. E por ele ser estuprador, também decidiu matá-lo”, informou ao G1 a titular da Delegacia de Homicídios, Marisleide Santos.
A vítima aguardava julgamento por abuso de incapaz, já o autor do crime cumpre pena por roubo. Eles estavam em uma cela com mais 15 detentos. Apesar do crime ter sido cometido durante a madrugada, o corpo só foi encontrado nesta manhã.
O suspeito relatou à delegada que ninguém o viu cometer o crime, pois todos estavam dormindo. “Ele disse que pegou um fio de energia, deu um choque na vítima e a asfixiou com um travesseiro. No entanto, só a perícia pode confirmar a forma como o detento  foi assassinado”, contou Santos.
Após prestar depoimento, o preso retornou ao presídio de Anápolis. A delegada afirmou que ele será indiciado por homicídio triplamente qualificado: por motivo fútil,  por não ter defesa para a vítima e por asfixia.
Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária e Justiça (Sapejus) informou que a direção da unidade “abriu sindicância para apurar as circunstâncias e as responsabilidades sobre a morte do detento”.
Fonte:  http://g1.globo.com

Em terra de Aécio Neves, PT na frente

Pesquisa feita pelo Instituto Veritá sobre a disputa pelo governo de Minas Gerais aponta vitória de Fernando Pimentel, do PT, no primeiro turno. Se as eleições fossem hoje, ele teria 50,8% dos votos válidos, contra 33,8% do tucano Pimenta da Veiga e 7,8% do socialista Tarcísio Delgado.
O levantamento também anima o PSDB porque Pimenta da Veiga cresceu quando associado ao candidato presidencial pelo PSDB, Aécio Neves. Ele diminuiu a distância do petista e cresceu três pontos percentuais, indo de 30,8% a 33,8% dos votos válidos, entre maio e julho. Num eventual segundo turno, haveria empate técnico.
O instituto também pesquisou a preferência do eleitorado mineiro sobre a sucessão presidencial. Se a eleição fosse hoje, o senador Aécio Neves venceria, mas a distância da presidente Dilma Rousseff entre maio e julho diminuiu consideravelmente.
Se há dois meses o tucano tinha 39% das intenções de voto, contra 25,7% da petista (o que nos votos válidos significa 53,8% a 35,4%), uma diferença de 17 pontos, agora a diferença é de 11 pontos, dado o crescimento de Dilma. Se as eleições fossem hoje, Aécio teria 41% contra 32,5% de Dilma em Minas (51% a 40% dos votos válidos).
Na simulação presidencial de segundo turno, a distância também é menor. Aécio registra atualmente 45,4% das intenções de voto, contra 34,7% da presidente (nos votos válidos, isso representa 56,7% contra 43,3%). Em maio, o tucano tinha 50,4%, contra 30,9% de Dilma (nos votos válidos, 62% contra 38%). A pesquisa foi realizada entre 21 e 25 de julho, com 3.077 entrevistados, e foi registrada no TSE.
Fonte: http://www.sul21.com.br

MORADORES DO TEREZINHA PALMERSTON RECLAMAM DO MAL CHEIRO

Moradores do setor Terezinha Palmerston estão indignados com o fedor que vem do matadouro da cidade. O mal cheiro é tão grande que na hora das refeições OS MORADORES PERDEM  o apetite. É preciso que as autoridades  tomem as devidas providência, pois o mau cheiro é durante o dia todo. Existem relatos de alguns moradores de que os restos de carcaças não estão sendo recolhidos, ocasionando assim o mau cheiro. Por favor nos ajudem, nós moradores desse setor estamos sofrendo muito com esse mau cheiro.

Fonte de Informação:
Talita Nascimento

CONSUMIDOR ASSASSINA ELETRICISTA QUE DESLIGOU A ENÉRGIA


O eletricista Valdir Carubelli, de 51 anos, funcionário da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), foi assassinado por um consumidor revoltado com o corte do fornecimento de energia de sua casa, no centro de Luiziânia, no interior de São Paulo.

Carubelli e um companheiro faziam o corte de energia por falta de pagamento, quando o morador da casa, Dionatá Ribeiro de Oliveira, 21 anos, foi tirar satisfação e, depois de entrar em discussão, atirou com uma espingarda calibre 28 no abdômen do eletricista.

De acordo com o investigador de polícia Manoel Izael de Oliveira, o eletricista se apresentou devidamente com o crachá da CPFL e avisou ao morador de que tinha de fazer o corte, por determinação da concessionária de energia. “Mas o morador não aceitou e disse que se ele fosse cortar o fornecimento teria problema”, contou o policial.

O eletricista disse que, se fosse preciso, chamaria a Polícia Militar para poder fazer seu trabalho. “Sem mais nem menos, o morador entrou na casa e saiu com uma espingarda, disparando um tiro na barriga do eletricista quando este fazia o serviço de corte”.

O eletricista foi internado, em estado grave, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Santa Casa de Araçatuba, onde passou por cirurgia de três horas para retirada do projétil e recuperação do intestino, perfurado pelo tiro. Mas ele não resistiu e morreu. Seu corpo foi enterrado no cemitério da cidade de Braúna, onde ele morava com a família.

Depois do crime, Oliveira deixou a casa, mas foi localizado e preso em flagrante pela Polícia Militar, na periferia da cidade. Ele mostrou aos PMs onde escondera a espingarda, sob um monte de areia de construção, em uma rua próxima à sua casa. Ele disse que tinha comprado a arma havia dois meses para se proteger de pessoas que o ameaçavam e que ficou revoltado quando o eletricista anunciou que cortaria a energia elétrica de sua casa.

Segundo o investigador, a polícia já tinha informações de que o rapaz possuía armas, pois tinha informações de que ele fora visto disparando tiros pela cidade. “A polícia chegou a revistar a casa dele dias antes, mas não encontrou a arma”, contou. Dionatá Rbeiro de Oliveira já tinha passagens pela polícia, uma delas na Fundação Casa por homicídio. Ele está preso na Delegacia de Polícia de Penápolis esperando vaga no Centro de Detenção Provisória (CDP) de São José do Rio Preto.

Peru e Chile chamam embaixadores em Israel para consultas

Peru e Chile também manifestam reprovação aos ataques indiscriminados de Israel contra território palestino
São Paulo – Os governos de Peru e Chile anunciaram hoje (30) que decidiram chamar para consultas seus embaixadores em Israel, assim como fizeram outros países, entre eles o Brasil, sobre a sucessão de ofensivas militares contra a Faixa de Gaza, que provocou várias mortes.
O Ministério das Relações Exteriores do Chile disse em nota oficial que "observa com grande preocupação e desalento" as operações militares de Israel em território palestino, que representam "um castigo coletivo" à população civil em Gaza e não respeitam "normas fundamentais do direito internacional humanitário".
O Chile condenou o lançamento de foguetes por parte do Hamas contra alvos civis em Israel, mas especificou que "a escala e intensidade das operações israelenses em Gaza vulneram o princípio de proporcionalidade no uso da força", um requisito "indispensável" para justificar a legítima defesa.
"O Chile reitera seu apelo a favor do término imediato das hostilidades, o que permitirá o início de uma operação de apoio humanitário para socorrer os milhares de deslocados internos e vítimas civis, em particular as crianças", acrescentou o ministério.
Membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, o Chile tem a maior comunidade palestina fora do mundo árabe, com cerca de 400 mil pessoas, em sua maioria descendentes de imigrantes que professam a religião católica.
Por sua vez, o o Ministério das Relações Exteriores do Peru emitiu comunicado oficial para chamar seu embaixador em Israel para consulta. "Devido à gravidade da situação, e em coordenação com governos de outros países da região, nesta data o Peru decidiu chamar para consulta seu embaixador em Israel", diz a nota.
No documento, foi declarado que o Peru acompanhou "com extrema preocupação" a violência no Oriente Médio e que "lamenta profundamente a interrupção do cessar-fogo com novas operações militares de Israel em Gaza que causaram a perda de vidas humanas que se somam às mais de mil vítimas, muitas delas civis, mulheres e crianças".
"Estes graves fatos afetam a paz e constituem uma nova e reiterada contravenção das normas elementares do direito internacional humanitário. O Peru ressalta, além disso, sua rejeição ao lançamento de foguetes e a qualquer tipo de ataque contra a população civil em Israel", acrescenta o texto.
No dia 23 de julho, o Brasil também retirou o seu embaixador de Israel. Em uma nota divulgada à imprensa, o Itamaraty subiu o tom das críticas aos ataques israelenses e condenou "energicamente o uso desproporcional da força por Israel na Faixa de Gaza". Como resposta, um porta-voz israelense chamou o Brasil de politicamente irrelevantes e de anão diplomático.
 Na RBA

O PSDB VIVE UM MOMENTO DE DECADÊNCIA ELEITORAL

Por Fernando Brito, no blog Tijolaço:

A Alemanha fez a sua parte, com aquele “sacode” que levamos na semifinal.

Mas, no resto, a estratégia da oposição de capitalizar a natural frustração com a derrota esportiva e, ao menos, reverter as perdas que tiveram com o fato de a Copa do Mundo, apesar das previsões catastróficas da mídia, ter sido um sucesso internacional, não funcionou.

Aécio despencou de seu discurso moralista com o aeroporto de família em Cláudio.

A seca do Alckmin, que tinha sumido da mídia, voltou com força depois da ação do Ministério Público que manda racionar a água. Como advertiu, preocupada, a Folha, não apenas é conversa de elevador como já virou, hoje, assunto de matérias locais na Globo, com o povão reclamando da falta de água.

Sobrava o terrorismo econômico, mas a inflação em queda trabalha para desmontar o cenário e a traulitada dada na carta do Santander ainda ajudou a evidenciar a gula “mercadista”.

Até o insuspeito Clóvis Rossi diz, hoje, na Folha ( o mais lido do dia) que “além de patético, o comportamento de tais agentes de mercado é covarde”.

Afinal, e todo mundo sabe, ganharam muito dinheiro com o Brasil e com a expansão econômica do Brasil.

De maneira mais apropriada à sua elegância, Rossi repete o que disse aqui quando chamei de “mentira deslavada” os pedidos de desculpas do banco espanhol: ”é o clássico modelo de atirar pedras e esconder a mão”.

Mesmo a “mãozinha” do Ministro José Jorge, do TCU – Jorge foi Ministro do Apagão de Fernando Henrique – no caso da refinaria de Pasadena deu errado, porque não atingiu a figura da Presidente.

Até o coadjuvante Eduardo Campos e sua partner Marina O que é que estou fazendo aqui Silva tiveram que se defrontar com a “saia-justa” da sua nova política que explicou que estava montando uma provinciana “Casa de Eduardo” em Osasco para “ganhar unzinho”. Campos não representa nada eleitoralmente em termos nacionais – esperem as pesquisas mais adiante – e está a caminho de tomar uma tunda de proporções homéricas até mesmo em Pernambuco, onde até os prefeitos do PSB estão debandando para a candidatura Armando Monteiro, do PTB mas apoiada – e apoiando – Lula.

A esta altura, sei não, acho que a tucanagem morre de saudades de José Serra.

E eu lembro da frase do Millor Fernandes: mais importante do que ser genial é estar cercado de medíocres.

MASSACRES CONTRA POVO PALESTINO

"Não há palavras para expressar adequadamente minha raiva e indignação", disse um comissário da ONU, a respeito de mais um ataque do exército israelense contra escola palestina.

Nem a minha. Nada que eu pudesse escrever superaria o impacto da simples leitura dos dois textos que transcrevo abaixo.

A presidenta Dilma Rousseff foi cautelosa, disse que estamos diante de massacres, não de um genocídio.

Decidam os leitores se trata-se ou não do "extermínio sistemático de pessoas tendo como principal motivação as diferenças de nacionalidade, raça, religião e, principalmente, diferenças étnicas".

Eu não hesito um segundo para afirmar: É GENOCÍDIO, SIM. DOS MAIS BESTIAIS!
"CRIANÇAS FORAM MORTAS ENQUANTO DORMIAM AO LADO DE SEUS PAIS"
O chefe da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNWRA) classificou de "vergonha universal" o ataque israelense nesta quarta-feira (30) contra uma escola mantida pelo organismo no campo de refugiados Jabaliya, na faixa de Gaza, onde centenas de palestinos haviam se refugiado. Ao menos 19 morreram e 90 ficaram feridos no ataque. 
"Ontem à noite, crianças foram mortas enquanto dormiam ao lado de seus pais no chão de uma sala de aula em um abrigo da ONU em Gaza. Crianças mortas enquanto dormiam; isso é uma afronta para todos nós, uma fonte de vergonha. Hoje o mundo está em desgraça", afirmou em nota Pierre Krähenbühl, comissário-geral da UNRWA.
"Não há palavras para expressar adequadamente minha raiva e indignação", afirmou.
Segundo Krähenbühl, este ataque foi o sexto contra uma escola mantida pela UNRWA em Gaza. "Nossos funcionários estão sendo mortos. É um ponto de ruptura."
O Exército de Israel não confirma o ataque contra a escola da ONU -- e diz que militantes estavam disparando do local.
Mas, na nota, a UNRWA afirma não ter dúvidas de que o ataque foi realizado por Israel.
"Visitamos o local e coletamos evidências. Analisamos fragmentos, examinamos as crateras e outros danos. Nossa avaliação inicial é de que foi a artilharia israelense que atingiu nossa escola, em que 3.300 pessoas haviam se refugiado. Acreditamos que houve ao menos três impactos", afirmou. 
Ainda de acordo com a nota, a localização da escola e a informação de que estava sendo ocupada por refugiados foram comunicadas ao Exército israelense 17 vezes, a última delas horas antes do bombardeio
O Exército israelense, em uma primeira resposta à morte de  20 palestinos em uma escola administrada pela ONU em Gaza nesta quarta-feira (30), disse que militantes próximos à instalação atiraram bombas de morteiro e as forças israelenses foram obrigadas a revidar. (UOL, com despachos das agências internacionais)